browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

“Diário da tua ausência” por Fabrício Carpinejar

Posted by on janeiro 16, 2012

Pois bem, ainda dá tempo: hoje é o último dia para você participar da  promoção Leituras de Férias! O três livros, da editora Bertranda Brasil, que estão no pacote que vamos sortear para nossos fãs do facebook são: O Tempo que eu queria (de Fabio Volo), Um caso de verão (de Elin Hildebrand) e Diário da tua ausência (de Margarida Rebelo Pinto). Clique aqui para saber mais.

Na sexta-feira passada apresentamos um pouco do livro de Fabio Volo para nossos leitores. Hoje é dia Diário da  tua ausência, mas quem vai dar seu depoimento sobre o livro é Fabrício Carpinejar! Deixamos você com as palavras do poeta:

Não sou de estragar um livro contando o final.

O final não interessa, mas sim o desejo do amor em ultrapassá-lo.

Em Diário da tua ausência, Margarida Rebelo Pinto expõe a procura desesperada de seu amante.

Um desespero sempre é manso.

Quem grita não está sofrendo.

Quem fala baixo respeita a falta e aprende que, antes de qualquer perda, tem que enfrentar o luto de si mesmo.

Em tom de correspondência sussurrada, Margaria vinga Penélope, inverte o juízo de valor machista e mostra os trabalhos da escrita para Ulisses ler.

Corajoso é aquele que fica, enfrenteando diálogos imaginários, suportando a dependência química, recorrendo às sobras de fotos, hábitos, lembranças.

O livro é doído, exagerado, derramado, uma caixa de lenços, último teste dos cardíacos.

É amor para não se entender e, mesmo assim, aceitar.

Não definimos ou planejamos o escolhido de nosso afeto, não há como conter e controlar o destino, não existe como enterrar a paixão na culpa.

Margarida Rebelo Pinto pega a pá para não usar. Recebe os corvos e as aves de rapina somente para dizer que o corpo de seu amado é dela.

A separação é inventar nascimentos e formas de reatar a convivência.

É descobrir o que deu certo mais do que aquilo que deu errado e repetir, incansvelmente, até se convencer e chorar.

Quer ganhar esse livro? Clique aqui e participe da nossa promoção!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

*
To prove you're a person (not a spam script), type the security word shown in the picture. Click on the picture to hear an audio file of the word.
Anti-spam image