browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Lista: os livros recomendados por Renato Russo

Posted by on outubro 11, 2011

Lá se vão 15 anos desde que Renato Russo nos deixou. Suas canções eram recheadas de referências literárias, que fazem gerações buscarem conhecer autores clássicos e undergrounds. Tanto é assim que, quando questionado por fãs como se pode desenvolver um trabalho artístico, ele afirmou em uma carta “uma boa ideia, rapazes, é LER LIVROS”.

É essa carta, divulgada há cinco anos na internet, que está ganhando popularidade, e mostra as principais referências literárias do líder do Legião Urbana:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Preparamos abaixo a lista dos lvros sugeridos por Renato Russo com comentários para você conhecer melhor – ou lembrar – cada livro:

Confira a lista:

Zen e a Arte de Manutenção de Motocicletas, de Robert Pirsig com todo o jeito de romance de viagem, Zen e a arte… acaba transcendendo a viagem e visitando o campo das reflexões filosóficas. O misto de aventura e reflexão, pontuado por uma linguagem acessível, fez da obra de Pirsig um clássico dos anos 1970 e 1980.  O livro poderia talvez alcançar a mesma repercussão das décadas passadas se fosse lançado em edições mais econômicas com as de bolso. Zen e arte… é editado no Brasil pela Martins Fontes.

 

 

A Montanha Mágica, de Thomas Mann – diferente de Zen e a arte…, o calhamaço de Thomas Mann (960 páginas) troca a liberdade da estrada pelo confinamento de um sanatório da Suiça. Indivíduos de diferentes raças e credos estão unidos, entrelaçando inquietações, problemas e angústias. O livro foi também recentemente citado por outro ícone do rock oitentista. A montanha mágica é editado no Brasil pela Nova Fronteira.

 

 

 

Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley - livro que  já ganhou sucessivas reedições – pode ser encontrado em pocket pela editora Globo. É fonte de inspiração para muitos outros artistas populares, tendo na obra de Zé Ramalho sua mais conhecida citação: a canção Admirável gado novo. O livro é uma ficção científica que constrói um mundo distópico sem pesares, no qual um insatisfeito habitante luta pelo direito de sofrer.

 

 

 

Histórias de Fadas, de Oscar Wildeé um livro que lamentavelmente anda esgotado, apesar de ser cotado como “altamente recomendado para jovens” pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Conhecido por sua inquietação e revisão dos valores morais do século XIX, Oscar Wilde aponta aqui sua verve crítica para a construção de narrativas lúdicas e instigantes que tentam ensinar os jovens a melhor viver.

 

 

 

A Revolução dos Bichos, de George Orwell – também bastante badalado, o livro de George Orwell usa de uma fábula para tratar a questão do poder político. Em uma fazenda, um grupo de animais se organiza para tomar o poder dos tiranos seres humanos. Apesar do sucesso  revolucionário, outra hierarquia de opressão se forma. Escrito durante a Segunda Guerra Mundial, o livro ironizava tirania stalinista. A Revolução dos Bichos é editado no Brasil pela Companhia das Letras.

 

 

Capitães de Areia, de Jorge Amado – talvez esse seja o livro mais popular – e também mais bem acabado – da primeira fase de Jorge Amado. Narra a história de um grupo de jovens à margem da sociedade de Salvador para sobreviver e encontrar justiça e liberdade. Capitães de Areia acaba de ganhar uma versão cinematográfica dirigida pela própria neta de Jorge Amado,  Cecília Amado. O livro é editado pela Companhia das Letras e pode ser encontrado em versão de bolso.

 

 

Encontro Marcado, de Fernando Sabino – lançado em 1956, este livro foi mais do que um romance de geração, ao trabalhar as principais questões que tocavam Sabino e seus contemporâneos, mas também um romance de formação: através dele, Rimbaud, Verlaine, Baudelaire e Garcia Lorca se tornaram referência para inúmeros leitores. A história de um jovem que cruza as ruas de Belo Horizonte a se questionar acerca da dor, da delícia e do sentido de estar vivo segue encantando gerações. Encontro marcado é editado pela Record.

 

 

O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger – o livro do Salinger costuma figurar como uma grande influência, para o bem ou para o mal. Citado como fundamental na formação de integrantes de grupos como Pearl Jam ou Green Day, também é o livro que o assassino de John Lennon carregava quando foi detido pela polícia. Talvez com medo de uma psicose coletiva, é impossível encontrar edições econômicas do livro do J. D. Salinger, o que praticamente inviabiliza maior conhecimento e influência deste sobre os jovens de hoje.

 

Discurso da Servidão Voluntária, de Etienne de la Boétie – livro de filosofia escrito em meados do século XVI, o Discurso da Servidão voluntária apresenta a ideia de que é possível resistir à opressão sem recorrer a atos de violência. Com o passar dos séculos, o texto já inspirou diversas manifestações de desobediência civil e de resistência pacífica. O Discurso pode ser encontrado em edições da Martin Claret.

 

 

 

O Senhor dos Anéis , de J. R. R. Tolkien – a extensa saga de Tolkien é mais do que conhecida pelo público de hoje, pode ser adquirida em vários formatos da Martins Editora e tem uma badalada versão cinematográfica. No entanto, Renato Russo não viveu tempo suficiente para ver o clássico da fantasia entrar no mainstream. Nos anos 1980 e início dos 1990, a trilogia era popular apenas para um público bastante segmentado. A presença do livro na lista demonstra que o compositor se mantinha antenado em relação aos títulos de fantasia.

 

 

Siddharta, de Herman Hesse – o primeiro dos quatro títulos do escritor alemão Herman Hesse a aparecer na lista. O livro conta a história romanceada do príncipe Siddharta Gautama, o Buda histórico, desde seus primeiros questionamentos juvenis até sua iluminação. É editado pela Record.

 

 

 

 

Demian, de Herman Hesse - um livro que trata de um protagonista a procura de si mesmo nos mais diversos discursos diante da realidade: filosofia, religião, vida atribulada. Este é um dos livros mais densos de Herman Hesse, nobel de literatura em 1946, revelando influências de Nietzche e estudos psicanalíticos. Também é editado pela Record.

 

 

 

 

Narciso e Goldmund, de Herman Hesse – o livro começa num convento da Europa Central, onde dois noviços de perfis bastante diferentes se encontram e se atraem mutuamente. Esse romance também revela produndo interesse de Hesse pela psicanálise, tratando dos personagens como polos de um ego que se completam em busca de equilíbrio. Povoado de diálogos cheios de reflexão, é um livro que segue encantando leitores. Editado no Brasil pela Record.

 

 

 

O Lobo da Estepe, de Herman Hesse – o livro mais popular de Herman Hesse, inspirou o nome da banda Steppenwolf e muitas canções mundo afora. Apesar de ter sido lançado originalmente em 1927, foi com a geração hippie que a história de um homem de 50 anos, recluso e misantropo, passa a despertar de um longo sono às portas da loucura. Assim como os outros títulos de Hesse, pode ser encontrado em edição da Record.

 

 

 

Histórias Extraordinárias, de Edgar Allan Poe – um dos mais influentes autores de histórias de terror numa compilação de contos exemplares de sua obra. Climas de suspense e de tensão são o palco perfeito para personagens de grande profundidade psicológica chegaram ao seu limite. O livro pode ser encontrado em edição de bolso da Companhia das Letras.

 

 

 

Fundação, de Isaac Asimov -trata-se de uma trilogia de livros do cultuado autor de Ficção Científica. Fundação conta a história da humanidade do ponto distante no futuro, sob a iminência da destruição total da humanidade e de todo seu conheciemnto acumulado. O destino está nas mãos de um só homem, que será o responsável pelo futuro das galáxias. Editado aqui pela Aleph.

 

 

 

1984, de George Orwell – o livro é mais conhecido hoje por dar nome a um reality show do que por sua narrativa. No entanto, o big brother das páginas de Orwell aponta para uma visão crítica das possibilidades de um regime totalitário. Este é o último romance de George Orwell. O livro é editado no Brasil pela Companhia das Letras.

 

 

 

 

Outros autores:

Júlio Verne

Fernando Pessoa

Carlos Drummond de Andrade

Colin Wilson

Outros livros:

O Vampiro Lestat, de Anne Rice

Feliz Ano Velho, de Marcelo Rubens Paiva

*Post dedicado a Gabriel Francisco. Obrigado pela indicação!

A Montanha Mágica

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

*
To prove you're a person (not a spam script), type the security word shown in the picture. Click on the picture to hear an audio file of the word.
Anti-spam image